quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Mordendo os lábios!

               É Natal, foi Natal, mas a inveja parece que continua à solta!
É uma época em que supostamente devíamos ser todos correctos, bondosos e amigos verdadeiros mas nem nestas alturas a inveja se solta da alma e corpo de alguma gentinha.
Hoje estou que nem posso!

É verdade, a inveja enoja-me! Mas acho que eu estou vacinada contra essa peste chamada "Inveja"...
E se porventura a vacina não me imunizar de algum novo vírus da "inveja", eu tenho um outro antídoto: A força de uma mão cerrada!
 
Já estive mais longe de me passar dos carretos!

Mas quero acabar o ano e começar outro da melhor maneira!
(Mordendo os lábios).

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Feliz Natal :)


Desejo a todos um excelente Natal... Repleto de Sorrisos, Saúde e coisinhas doces!

Beijo!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Um abraço apertado

Aproxime-se mais.
Tente sentir do que um abraço é capaz.
Quando bem apertado,
ele ampara tristezas,
sustenta lágrimas,
combate incertezas,
põe a nostalgia de lado.
É até capaz de amenizar o medo.
Se for cheio de ternura,
ele guarda segredos,
e jura cumplicidade.
Um abraço amigo de verdade
 divide alegrias e se apraz em comemorações.
Abraços são pequenas orações
de fé, de força e energia.
Olhe para o lado:
há sempre alguém que quer ser abraçado
e não tem coragem de dizer.
Enlace-o.
O pior que pode acontecer
é ganhar de volta um sorriso de carinho,
ou, quem sabe, uma palavra sincera.
Você vai descobrir que ninguém esta sozinho
e que a vida pode ser um eterno céu de Primavera.
(Autoria desconhecida)

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

domingo, 4 de dezembro de 2011

Somos seres com rótulos e carimbos

  Chamem-lhe rótulo ou carimbo. Chamem-lhe o que bem entenderem. A verdade é que somos rotulados pelos outros, na maioria das vezes carimbados até de "produto estragado".   Todos nós pagamos um preço por sermos quem realmente somos. Os rótulos existem e sempre irão existir, compete-nos a nós não deixarmos que estes influenciem o nosso verdadeiro Eu, a nossa maneira de ser e a nossa forma de estar perante os que amamos e perante todas as situações que nos rodeiam. Sei que não é fácil ignorar esta gentinha e fazer de conta que não nos ferem. Claro que ficamos feridos, pois a mentira e a falsidade aborrece. Não fico indiferente a isso mas ignoro sempre que posso e não dou importância, isso é que os faz ficar piurços. 
   Penso que o maior arrependimento que podemos ter na vida é não sermos nós próprios e sim o que os outros querem que nós sejamos. Sou parva? Imatura? Pois sou! Tenho atitudes estúpidas e condenáveis aos teus olhos? Talvez tenha! Mas sou sempre Eu, esta pessoa é autêntica, verdadeira, só que apenas rotulada por ti, e por alguns. Mas isso é o que menos me interessa...
   Estou bem comigo mesma. Portanto, sejamos fiéis ao nosso verdadeiro "EU", à nossa verdadeira essência e continuemos então o nosso processo de auto-descoberta olhando sempre em frente e aprendendo com os nossos erros, com o nosso passado!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Hoje é o dia em que sou paparicada por todos...

E gosto! :)
Miminhos não me vão faltar!

(Se bem que entrar nos trintinhas está-me a assustar...)

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Um beijo por dia...

...nem sabe o bem que lhe fazia!
                                                                                                                             

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Hoje se tivesse um buraco enfiava-me lá dentro

   Ai, hoje era certo ter-me enfiado dentro de um buraco, bem fundo  para ficar bem escondidinha, se por acaso tivesse algum por perto... Hoje fui buscar a minha pestinha ao colégio e cruzei-me com um amiguinho dela e a mãe. Bem, que impressão me fizeram alguns minutos de conversa com aquela mulher. Uma rapariga com os seus 30 e poucos anos, de rosto bonito e com os dentes incisivos todos negros. Agoniava só de olhar, sem exagero algum. Eu nem sou de reparar muito nos outros (lol) mas há coisas que me chamam à atenção. Estávamos a ter uma banal conversa de mães, falar da educadora, do espaço do colégio, das condições em geral. De repente a minha piolhita interrompe:
  - Olha lá, porque é que tu tens os dentes tão feios?

  - Amor, isso não se diz! (intercedi com um tom de voz baixinho, cheia de vergonha)

  - Mamã mas é verdade! Tu é que dizes para dizer sempre a verdade...

   Fiquei sem reacção. Mas o que podia eu argumentar perante tal resposta? Incuto-lhe a educação que acho correcta e por vezes fico a pensar se será o caminho certo...

    Que vergonha, meu Deus...  As crianças são tão sinceras que até dói. Ela disse o que eu estava a pensar! E eu fiquei tão incomodada com a situação, quanto a mãe do amiguinho dela. Ninguém disse nadinha, a rapariga apenas corou.
   E eu desejei um buraco ali mesmo para me enfiar todinha!
  (lolol)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O que é que uma filha diz a uma mãe depois de assistir ao programa Peso Pesado?

"Mamã, tu quando fores àquele programa,  tens de emagrecer só no rabo, não é?

Epah, mãe que é mãe não merece ouvir isto!
(Vou ali ver-me ao espelho e já volto...)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Preciso de Pausa!

Preciso mesmo! Mas não consigo! O mês de Novembro é para mim e para quem me rodeia dos meses mais agitados. Todos os anos é assim: são festas, festinhas, passeios, aniversários de amigos (o meu também é este mês). Mas eu gosto! Confesso que ando super cansada, estou a ficar cota para noitadas e bebedeiras (lol). Este fim-de-semana foi de caixão à cova, mas sobrevivi a uma noite (quase) sem dormir. Ontem parecia uma zombie, a minha menina passou o dia a perguntar se eu estava doente e confesso que estava um pouco... Fiquei alcoólicamente bem disposta no meio de tanta Jeropiga.
   Foi a noite das tasquinhas, numa terriola aqui perto. O convívio entre os amigos é uma constante e a alegria também. Brincadeiras, piadas, sorrisos, bom ambiente, gargalhadas e acima de tudo o estar com amigos! Gosto mesmo disto!
   Para o próximo fim-de-semana há mais, vem aí a festa do cogumelo. Já começo a ficar preocupada com este andamento todo...mas estou convidada para mais uma noite e não gosto de falhar. :))

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O último fim de semana foi assim...

Paragem em Almeirim para uma sopa de pedra (muito boa).

Uma saltada à feira dos cavalinhos na Golegã, com direito a comer castanhas à moda antiga. :)

Com direito a ouvir um magnífico fado, na voz de Teresa Valadas.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Gestão por resultados - Boa analogia

Numa cidade do interior, viviam duas mulheres que tinham o mesmo nome: Flávia. Uma era freira e a outra taxista.
Quis o destino que morressem no mesmo dia.
Quando chegaram ao céu, São Pedro esperava-as.
- O teu nome?
- Flávia
- A freira?
- Não, a taxista.
São Pedro consulta as suas notas e diz:
- Bem, ganhastes o paraíso. Leva esta túnica com fios de ouro. Podes entrar.
A seguir...
- O teu nome
?
- Flávia
- A freira?
- Sim, eu mesma.
- Bem, ganhastes o paraíso... Leva esta túnica de linho. Podes entrar.

A religiosa diz: - Desculpe, mas deve haver engano. Eu sou Flávia, a freira!
- Sim, minha filha, eu sei... e ganhastes o paraíso. Leva esta túnica de linho...
- Não pode ser! Eu conheço a outra Flávia, Senhor. Era taxista, vivia na minha cidade e era um desastre! Subia as calçadas, batia com o carro todos os dias, conduzia pessimamente e assustava as pessoas. Nunca mudou, apesar das multas e repreensões policiais.
E quanto a mim, passei 65 anos pregando todos os domingos na paróquia. Como é que ela recebe a túnica com fios de ouro e eu esta de linho? Só pode ser engano!
- Não há nenhum engano - diz São Pedro. É que aqui no céu, adoptamos uma gestão mais profissional do que a de vocês lá na Terra...
- Não entendo!
- Eu explico: Já ouviu falar de Gestão de Resultados? Agora orientamo-nos por objectivos e observámos que nos últimos anos cada vez que tu pregavas, as pessoas dormiam. E cada vez que ela conduzia o táxi, as pessoas rezavam!!!

Resultado é o que importa!!!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Doce ou travessura?

  É dia de Halloween. Sempre gostei de ver as criancinhas a bater de porta em porta a fazer das suas. Também eu quando pequena gostava destas brincadeiras. Tanto sapinho que atirei quando via janelas abertas, tanta farinha e ovos nas portas, tantos vasos de flores "desviados". Tudo por gargalhadas, gomas e rebuçados. :)


   Mas já detestei este dia, faz hoje dois anos que vivi um momento de grande aflição e do qual é impossível esquecer-me.
Gosto de tomar café mas com chuva recuso-me a sair. O meu marido saiu e trouxe-me um café, que a empregada colocou dentro de uma garrafa de água vimeiro, que ele tem como hábito beber a seguir ao café. As crianças têm como costume desejar o que vêm os adultos a ingerir e a minha bonequinha não é excepção. Ela brincava na sala enquanto eu bebia o café calmamente. Toca a campainha. Coloquei a garrafa enrolhada em cima da mesa e fui abrir a porta. Lá estavam os meninos disfarçados de maus da fita a gritar: "Doce ou travessura?"  Ouvi barulho, assustei-me ao voltar-me para trás, a minha menina roxa atrás de mim, com os olhos esbugalhados a puxar-me as calças, aflita a pedir-me socorro, sem falar. Não entendi o que se passava, agoniei, olhei à volta a tentar encontrar indícios do que estava a acontecer. As crianças, á porta, olhavam horrorizadas e  não pronunciaram uma única palavra. Entrei na sala e quase morri quando olhei a mesa e vi a garrafa sem a rolha. Rolhas perigosas que lhe poderiam ter cortado a garganta. Reagi de imediato, gritando e ao mesmo tempo agarrando nela, coloquei-lhe as costas junto às minhas pernas e inclinei-a para a frente, dei-lhe algumas pancadas enquanto que, com uma das mãos lhe tentava retirar a rolha da boca. Foi uma sorte ela tê-la introduzido com a parte cortante para fora, o que fez com que eu com os dedos a consegui-se remover. Ao mesmo tempo que agia lembrava-me de duas coisas: a formação de primeiros socorros que tive e um episódio contado por uma colega minha, o engasgamento do filhote com um rebuçado. Dei-lhe leves mas fortes impactos para lhe conseguir desobstruir a via aérea.
   O meu marido tinha ido à garagem e voltou de imediato, com a bravura dos meus gritos. Consegui! Felizmente aquilo tinha passado. A minha pequenina agarrou-se ao meu pescoço e não me largou mais. Aqueles primeiros minutos foram de indecisão, não sabiamos se haveríamos de nos deslocar ao hospital ou se o pior já tinha passado. Aguardei uns minutos para avaliar o seu estado, dei-lhe água e pão e ela conseguia engolir. Perguntei-lhe se lhe doía, abanava a cabeça, "dizendo" não. Afinal ela estava bem.
   Dirigi-me às crianças, que continuavam como estátuas à entrada da porta. Agarrei num saco de gomas e chocolates e entreguei-lhos. Agradeceram e disseram: "Hoje foi mesmo dia de bruxas".
   E para mim foi mesmo, nunca senti realmente isso a não ser neste dia. Nunca mais consegui olhar para as garrafas de água vimeiro com os mesmos olhos só de pensar no que poderia ter acontecido por negligência minha ao enrolhar mal a garrafa. Ela claro que foi passar a boca no gargalo da garrafa à procura da doçura do café e com a boquita conseguiu originar aquela quase tragédia. Bastaram uns segundos para um momento realmente assustador.
   As crianças ficaram de tal forma assustadas com o sucedido que no dia seguinte todas as mães deles me vieram perguntar o que se tinha realmente passado. 

Halloween

Voam as bruxas e os feiticeiros nas ruas
Encavalitados nas suas vassouras.
Tocam os sinos, voam morcegos,
Escondem-se os gatos com os seus medos.
Gritam os incomodados, riem os outros,
Gargalhadas estridentes rebentam no ar.
Revolta-se a cidade intempestiva,
Gritos mudos solta o mar.
Espalha-se fumo, tremem os bébés
Com o susto que vêem nos vôos rastejantes.
Vestes negras aparecem rasgadas,
Risinhos e gritos aparecem marcantes.
É noite de mortos, anda o medo à solta
Voam fantasmas como reviravolta.
E é assim que é este dia,
Com docinhos ou travessuras
Não levam a mal,
É dia das Bruxas,
                                                                                   Andam à solta afinal!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Aprender com os erros


Aprende-se tanto, mas tanto, com os erros que por vezes fica-se a pensar se se deve, ou não, cometer mais alguns! :P

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Carência de comunicação interpessoal?


   Criei este blog sem nenhum interesse, simplesmente me apeteceu. Contei a alguns amigos, mas conclui não valer a pena fazê-lo. Poucas pessoas que me conhecem sabem desta existência. Não vejo necessidade disso, por algumas razões. Não sei porquê mas apetece-me escrever sem ter de pensar se os que me conhecem estão a ler isto e o que vão dizer. Não é que os amigos mais chegados não saibam o que penso mas sim porque sei que haveria alguns sacaninhas que iriam deturpar completamente todos os pensamentos que aqui coloco. E concluí isso logo quando disse à primeira pessoa que tinha criado um blog. A resposta foi: "Minha amiga, se não vais divulgar nada de especial, nenhum produto ou empresa, estás-te a expor e não tens necessidade disso. A vida é tua. Essas coisas de blogues cheiram-me a carência de comunicação e falta de amigos. Não precisas disso!" Fiquei estupefacta com tal resposta, não estava mesmo à espera porque a pessoa em causa sabe que felizmente tenho muitos amigos, gosto de socializar com quem realmente me sinto bem mas também sabe que gosto de escrever só porque gosto! Não entendi esta atitude. Será esta pessoa minha amiga? É que sinceramente cheguei à conclusão que não me conhece...      
   Não acho mal ter por aqui  "amigos virtuais" (se é que os posso chamar assim) ou apenas sorrisinhos passageiros, gente simpática que gosta de partilhar opiniões, gostos, coisas simples da vida. Gente humana, aprazível. Não é para ter popularidade de género algum, nem é carência de comunicação interpessoal directa, embora saiba que muitas pessoas sentem este tipo de carência a cada dia que passa, mais acentuadamente. Acredito que há pessoas que apenas usam o blog ou até as redes sociais como refúgio à solidão. Não é o meu caso, mas mesmo que fosse cada um usa o blog ou as redes sociais para o que achar melhor. Importa as pessoas sentirem-se bem com elas, seja de que maneira for. Mas os que escrevem, seja onde for e como for, não têm de ser necessáriamente pessoas tristes ou carentes. Antes de ter o blog escrevia num papel de rascunho e depois deitava os pedaços rasgados pela janela (parece louco mas sentia-me bem a escrever, mesmo que ninguém me lê-se depois).
   É verdade que estar aqui é um modo de estar em sociedade, de certa forma, isolado, confinado a quatro paredes onde só se vêem letrinhas e imagens, mas sei que atrás dessas imagens há um corpo, e esse corpo tem alma, porque cada um de vós que aqui passa é isso: um corpo com alma, que sente, que escreve, que age, que sorri e que se emociona!
   Por aqui consigo escrever abertamente o que sinto, transparecer sem receio de sofrer os efeitos colaterais adversos do contacto físico, com mentes conscientemente maldosas, que se alimentam da sensibilidade alheia.. Desde que não finja e me sinta bem a escrever, onde está o mal?
   Mesmo que quem me leia não me consiga interpretar tão bem por falta de conhecimento do meu "Eu" não vejo mal nenhum...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Há malucos para tudo :)

É uma tatuagem mas... Se és sensível fecha os olhos.


Muito perceptível, o Pinocchio, claro!   :)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O Orgulho apodera-se da sociedade

   Não tenho estes pensamentos só de agora mas chego cada vez mais à "brilhante" conclusão de que vivemos num mundo cada vez mais ocupado por hipócritas, pessoas sem sensibilidade, que só olham para o seu umbigo. É pena que assim seja... 
    A falta de civismo e o orgulho acompanhados de grande insensatez estão cada vez mais presentes nas vidas que observo e até mesmo nas pessoas que me rodeiam, o que me deixa apreensiva e com medo dos outros. Quer dizer, não é bem medo, mas tenho receio cada vez mais de dar de mim aos outros. Sinto que dou mais do que recebo, na maioria das vezes.
   Parece que as palavras "Desculpa" e "Obrigada" já não existem na mente humana, na linguagem corrente, nem sequer no dicionário. Na maioria das vezes parece que o fazem por obrigação e as palavras não saem sentidas.
   Agradar, causar boa impressão, dizer que tudo é lindo, isso toda a gente consegue fazer, mas olhem à vossa volta, quantas pessoas vocês vêem pedir desculpa? Eu vejo muito poucas, passam-se dias e até meses em que não ouço ninguém soletrar um pequeno, sentido e singelo "Obrigada".
   Quem quer agradar a todos não agrada ninguém. Ou se agrada, é por pouco tempo.
   Tentam contentar os outros porque fica bem, porque tentam ser correctos e sensatos, acabando por não ser nem uma coisa nem outra. Fazem-no por comodismo e porque não estão para se chatear. Fazem-no devido ao ougulho, presente cada vez mais na nossa sociedade.
   Eu ainda faço questão de usar esses as duas palavras que citei em cima, sempre que erro, sempre que quero agradecer algo. Gosto de demonstrar o que realmente sinto e na verdade não sei fingir. Mas devia aprender a copiar as atitudes dos outros, os actos daqueles que conseguem fingir sentimentos, construir reacções na tentativa de agradar. Seria bem mais prático! Tanta gente o faz, nem deve ser assim tão difícil. Mas eu não consigo, será que não sou normal?
  As frases "Desculpa se te magoei", "Desculpa se te fiz chorar" e "Obrigada por me fazeres sorrir" ainda as digo, porque faço questão disso. Faz parte de mim ser assim e não consigo não ser eu.
 Desculpem-me! Peço desculpa a todos aqueles a quem acabei de chamar de orgulhosos e insensíveis.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Quem é o idiota afinal?


"Para cada homem que faz uma mulher de idiota, existe uma mulher para fazer esse idiota virar Homem!"

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

O Amor

  O Amor não tem de obedecer a razão alguma. Nem sequer conseguimos escolher gostar ou não desta ou daquela pessoa. Simplesmente se gosta! Simplesmente amamos! É como um íman que atrai...
  Não amo alguém porque a pessoa se veste bem ou porque é educado. Amo porque há uma empatia especial, um sentimento inexplicável que não consigo controlar. Amo pelo conjunto de qualidades e não pela cor dos olhos ou pelo tom de pele. Amo pelo olhar sincero, pela fragilidade quando menos se espera e pela força inesperada. Amo isto e aquilo que há na pessoa, amo defeitos e qualidades. Posso até amar a pessoa errada mas tenho consciência de que a pessoa certa também não existe.
  O Amor faz com que se tenha sede da presença, faz desejar cada beijo, faz deixar para trás todos os erros e preconceitos, tudo o que fizémos achando que era certo e que agora condenamos.
  Amor! Que sentimento indecifrável! Podia escrever tanta coisa, mas tanta coisa depende de outras tantas coisas que vamos sentido em cada momento. Apenas sei que é um sentimento forte, que nos faz sorrir mas que também nos faz chorar. Porque o amor é assim, uma fragilidade que nos torna fortes e é também uma força que nos torna frágeis.
  Amar é lembrar  momentos com um sorriso no rosto, é deixar que a vida enxugue algumas lágrimas que caem. Mas o tempo ajuda na recuperação das tais doenças de Amor. Hoje adoecemos, amanhã estamos curados. Hoje discutimos para amanhã nos amarmos!
  Amamos o jeito, amamos cada mania, amamos até o que nos irrita... só porque amamos! Mas é tão complicado amar como saber gerir cada cor que pincelamos no mais simples quadro.
  O Amor tem um magnetismo inquietante que me prende e mesmo quando quero fugir dele não sou capaz, parece que corro e esse amor segue cada passo que dou.
  Não sei se isto já vos aconteceu mas é que às vezes apetece-me fugir do amor, esquecer sentimentos e viver de forma mais racional e calma. Porque seria mais sensato, porque se não amarmos também não nos magoam. Porque o amor é uma palavra bonita mas não é apenas isso! O amor também fere, também magoa. E não me refiro apenas do amor entre dois enamorados, na amizade acaba por ser assim também. Porque não amamos da mesma forma e cada pessoa é amada de uma maneira única.
  Amo tantas pessoas, e cada amor é diferente do outro. Não escolho quem amo, mas amo incondicionalmente.  Sem razão, sem falsas palavras. Apenas amo. Seja bom ou mau... é amor!
  Às vezes para amar temos de esquecer de como são as nossas almas e deixar que os corpos e os olhos simplesmente se entendam!
  O amor é um detalhe (um grande detalhe) que nos faz mudar ao longo de cada dia... O Amor não tem as suas próprias leis, é um sentimento totalmente desorganizado.
  Bom mesmo era podermos amar todas as vezes com a ingenuidade de como foi a nossa primeira vez e acreditar que o amor é sempre algo bonito e cor-de-rosa.
   Não conseguimos fazer a nossa existência nesta vida sem acreditar no amor. Afinal o que seria da vida sem o risco? Sem o amor e o desejo? Sem a paixão e o devaneio? No amor existe risco de sermos felizes, o desejo de podermos amar, a paixão que nos cega quase totalmente mas que nos faz sorrir sem razão, existe o devaneio da ilusão de ser para toda a vida, mesmo que não seja... Porque o amor é assim! E porque somos assim, seres que não vivem sem amor!
 

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vacina contra o tecto

  Hoje fui com a minha pestinha ao centro de saúde para a vacinarem. Instalei-me numa cadeirinha enquanto esperava a vez dela. Ouve-se uma senhora toda xpto, aparentando uns 45 anos, sapatinho fino, pintadinha e bem vestida, enfim uma autêntica perua (lol):
  - Ai eu hoje vim tomar a vacina contra o tecto!
  Pensei e repensei... "Vacina contra o tecto?"
 
  Não consegui evitar o sorriso e acabei por me atrever a corrigir a dita dama:
  - Desculpe intrometer-me, mas não será vacina contra o tétano.
  - Cale-se menina, mas quer ensinar-me a mim, que já levei tantas contra o tecto?
  - Ah, então desculpe... que burrice a minha! É que eu contra o tecto nunca levei nenhuma!

terça-feira, 20 de setembro de 2011

A força de um piscar de olhos

  Se há coisa que adoro num homem é um discreto, bonito e desinteressado piscar de olhos.
  Não é um piscar de olhos qualquer, daqueles brejeiros em que se nota que é tentativa de um suposto engate, com o intuito de seduzir, de agradar forçosamente. Daqueles piscares que "um homem qualquer" nos envia na rua, de modo tosco e malicioso. Não, não é nada disso!
   Também não me refiro aos homens que têm tiques nervosos nos olhos, que piscam, piscam e piscam os olhitos de forma continuada. Não, também não é isso! :)
   Gosto quando em conversa, ou num simples cruzar de olhares, um homem pisca o olho, como que por impulso, sem a intenção de o ter feito. Não sei explicar isto muito bem e provavelmente ninguém vai entender o que estou para aqui a escrever, e é verdade que nem as minhas amigas entendem quando tenho este desabafo. Aliás, elas passam o tempo a "gozar-me", riem e brincam dizendo: "Quando vir algum bonitão a piscar o olho eu chamo-te". Mas eu nem acho que o homem tenha de ser própriamente bonito, tem apenas de ser ele próprio.
   Esta semana cruzei-me com uma pessoa assim no emprego. Ele não era bonito, mas tinha charme. Era cliente da empresa onde trabalho e eu estava a responder-lhe a algumas dúvidas que ele tinha colocado em termos de facturação. A meio da conversa piscou o olho (parecia que me estava a dizer sem me querer interromper o discurso: "Continue, estou a percebê-la.") e no final da explicação piscou novamente o olho (como se me quisesse dizer: "Está tudo bem, assim já percebi.")
   Basicamente é isto, senti que esse piscar de olhos era em forma de agradecimento pelo atendimento que ele mereceu. E fez-me sentir bem. Agradeceu com um "Obrigado!" e um piscar de olhos. Gostei, porque gosto disso num homem. Seja ele bonito, ou não. Só não tem de ser um piscar de olhos corriqueiro, dissimulado ou com segundas intenções. Ou se as tiverem, que as escondam, de modo a eu não as percepcionar... :)

sábado, 17 de setembro de 2011

Aquecimento Global e Crise

                                   Junta-se o aquecimento global e a crise, dá nisto!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Amigos Coloridos - Friends with Benefits


  Vi no cinema e adorei! Por isso recomendo!
  Uma excelente comédia romântica que tem como protagonistas Dylan (Justin Timberlake) e Jamie (Mila Kunis) . Ambos são azarados no amor e resolvem "jogar ténis" juntos desde que não se apaixonem... Sexo sem compromissos ou complicações!
 Tudo parece correr na perfeição até ao momento em que ambos se apercebem o quão difícil pode ser gerir o sexo sem emoções e as emoções sem sexo…

  A não perder num cinema perto de si! :)

 Adoro comédias!

domingo, 11 de setembro de 2011

Aqui neste blog

Aqui, neste blog
Há pensamentos vividos,
Vivências pensadas.
Aqui, há Sorrisos presentes,
Memórias nunca apagadas.
Aqui, neste blog
Há coisas simples e banais,
Que conto, que escrevo
Sem me importar no que pensais.
Aqui, há flores diversas,
Rosas cintilantes
Há cravos rasgados
Em pensamentos distantes.
Aqui, neste blog
Há um pouco de tudo,
E muito de nada,
Há coisas esquecidas
Mas gente lembrada


                                                                              Aqui neste blog
                                                                           Há cheiro a jasmim,
                                                                          Há pedaços de outros
                                                                            E bocados de Mim.
                                                                              Aqui, neste blog
                                                                         Há palavras que falam
                                                                              De boca fechada.
                                                                            Há frutos e árvores,
                                                                           Sementes de outrora.
                                                                              Aqui, neste blog
                                                                          Há uma menina que ri,
                                                                        Há uma mulher que chora.


terça-feira, 6 de setembro de 2011

sǝzǝʌ sɐ

ɐɯıɔ ɐɹɐd ɐçǝqɐɔ ǝp ɹǝʌıʌ ɐ ɹǝpuǝɹdɐ soɯɐssod ǝnb ɐɹɐd 'oxıɐq ɐɹɐd ɐçǝqɐɔ ǝp ɐpɐɔoloɔ é ɐpıʌ ɐssou 'sǝzǝʌ sɐ

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Creches sobrelotadas

http://www.publico.pt/Sociedade/creches-passam-a-ter-18-miudos-dos-dois-aos-tres-anos-em-34-metros-quadrados_1510090

Creches passam a ter 18 miúdos dos 2 aos 3 anos em 34 metros quadrados...

  Lá que paguem os adultos pelas asneiras do nosso "querido" governo ainda se consegue "engolir".... agora que tratem as crianças como se de uns animaizinhos de tratassem, por favor! Onde é que isto vai parar? Mais parece que o Governo agora compara os colégios quase como aviários: colocar o máximo no mínimo espaço possível!
  Quem tem filhos sabe bem que eles necessitam de espaço, ou não?
  Mas a maioria dos governantes já tem os filhos em idade adulta?! Ah, assim percebo!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

domingo, 28 de agosto de 2011

Este fim-de-semana foi assim...


Ar Puro!
                 Turismo Verde!
                                                 Cheirinho a Terra!
                                                                                    Descanso!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Coisinha partida

  Por vezes há sorrisinhos que damos e recordamos para sempre. Recordo bem e ainda me rio muito com um momento acontecido há cerca de ano e meio. Quando conto isto a amigos é uma risada.
  Saí mais tarde da empresa devido ao excesso de trabalho. Cheguei a casa e pedi ao meu marido que desse banho à nossa pestinha (até sugeri tomarem os dois) para eu me apressar com o jantar.
 (Ele) - Mas eu? Costumas ser tu, vá lá tenho pouco jeito e a menina já começa a fazer perguntas.
 (Eu) - A fazer perguntas? E então? É bom sinal ser curiosa. Se perguntar só tens de responder da forma mais simples que conseguires, ok?
  Lá foram para a banheira, espuma e brinquedos a saltar no chão. Estava na cozinha quando ouço risos que não terminavam. O que estariam a fazer? Curiosa como sou fui ver. Estava a minha bonequinha estupefacta a olhar para o papá e ele a rir que nem um garoto. Perguntei o que se passava e ele não parava de rir. Dirigi-me a ela a ver se conseguia descobrir qualquer coisa (ele continuava a gargalhar).
  - Filhota, o papá está-se a rir de quê? Conta à mamã.
  - Mamã eu não sei. Só perguntei ao papá porque é que ele tinha a coisinha dele partida! (Apontando para o Pai) Vê lá mamã, tem três partidas e nós não! Tu és como eu mamã.
  Olhei, entendi a aflição dele e sorri. Bem tive eu de explicar, não é? Com calma e um Sorriso nos lábios lá lhe expliquei que o meninos e as meninas eram diferentes. Comparei-a com o primo e acreditei que tivesse entendido...
  - Percebeste Amor?
  - Sim mamã!
  No dia seguinte quando a fui buscar ao colégio toda a gente sabia que o papá tinha a "coisinha partida" mas a mamã não!! A auxiliar disse que passou o dia a rir com ela pois ela passou o dia a contar aos amigos a descoberta. "Estava mesmo quase a cair", dizia ela.

  E pronto, é assim que nós mães, sabemos que para as nossas pequenas filhas somos "lindas e normais" como elas e os papás são uns "palermas", com coisas partidas!!! ehehehe
:)))

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Serei Menina ou Mulher?

As meninas pensam que a sua felicidade depende de ter um homem a seu lado.
As mulheres sabem que a sua felicidade não pode depender de uma só pessoa.

As meninas querem controlar o homem em suas vidas.
As mulheres sabem que se o homem é realmente seu, não há necessidade de controlá-lo.

As meninas pensam que um homem deve de ser muito valente.
As mulheres sabem que os homens que presumem sê-lo, resultam ser muito covardes.

As meninas roubam o homem de outras sem se importarem com o sofrimento alheio.
As mulheres sabem que há suficientes homens livres para todas.

As meninas esperam que os homens voltem.
As mulheres não recolhem o que outras já pisaram.

As meninas pensam que os homens vão mudar.
As mulheres já se deram conta de que jamais será assim.

As meninas têm medo de ficar sozinhas.
As mulheres utilizam-no como tempo para o seu crescimento pessoal.

As meninas ignoram os bons homens.
As mulheres ignoram os maus.

As meninas fazem com que ele volte para casa.
As mulheres fazem com que ele queira voltar para casa.

As meninas deixam a sua agenda aberta e esperam que seu homem fale para fazer planos.
As mulheres fazem os seus planos e carinhosamente notificam aos homens para que eles se integrem como melhor lhes convenha.

As meninas monopolizam o tempo de seu homem.
As mulheres dão-se conta de que um pouco de espaço, faz do tempo juntos algo mas especial.

As meninas acham que um homem que chora é débil.
As mulheres oferecem seu ombro e um lenço. (Eu acrescento ainda um Sorriso).

As meninas lastimadas por um homem, fazem que todos os homens paguem por isso.
As mulheres sabem que foi só um homem.

As meninas apaixonam-se e perseguem sem descanso.
As mulheres sabem que algumas vezes o que amas não te amará e continuam o caminho sem rancor.

As meninas lerão isto e farão uma careta.
As mulheres rirão em meio pela sua serenidade.
(Por: Geralizado)

  Considero-me Mulher mas confesso que por vezes dou por mim a expressar Sorrisinhos de Menina.
  Nunca conseguimos ser tão racionais e defenirmo-nos só como Mulheres. Até porque há sempre dentro de nós uma criança! :) Ser "apenas" Mulher aborrece e acho uma Missão Impossível...
  Sonho como Menina, vivo como Mulher. E porque não!? Toda a Menina tem a sua evolução!

Quero-me Mulher, encontro-me Menina... Quero ser Menina e vejo-me Mulher!

domingo, 21 de agosto de 2011

Peddy-Paper

                                     
  Ontem à noite participei de um peddy-paper. Há anos que não participava e foi uma actividade que sempre adorei praticar, tanto pela convivência entre amigos, como pelo companheirismo e socialização que se gera, e também porque não estamos apenas parados a beber um copo no café da esquina.
   Foi um peddy-paper nocturno e o facto de ter sido nocturno fez com que fosse ainda mais interessante e misterioso.
  Formámos equipas de 4 pessoas e lá fomos nós à descoberta das pistas e das bandeirinhas vermelhas. Éramos a equipa vermelha. O percurso foi demasiado comprido, teve a duração de 2 horas (Começamos por volta das 21:30 h e acabámos às 23:30 h). Seguiu-se uma churrascada convívio, entre amigos, conhecidos e desconhecidos. Música também havia mas na verdade no fim de tantos passos dados, ninguém se mostrou com apetites dançantes. Eu estava estafadinha, falta de hábito...
  Sempre gostei deste tipo de actividade lúdica pois adquirimos conhecimentos durante este tipo de passeios pedestres que desconheciamos completamente. As perguntas eram sobre a nossa localidade, a história, as lendas, poetas que cá nasceram. Enfim, aprendi uma série de coisas que não sabia mesmo (quase que me senti burra, e moro cá porra!).
  Por isso aconselho a todos que tiverem hipótese de participar de um peddy-paper, que o façam. Dou aqui algumas boas razões para isso:

* Há uma competitividade saudável;
* Há a parte do exercício físico, que nos faz bem aos ossinhos :)
* Há confraternização entre quem está (equipas e organizadores);
* E sem dúvida a aquisição de novos conhecimentos (no nosso caso foi de um local, mas pode ser de um tema à escolha. Haja imaginação!).
Podia enumerar mais umas quantas de razões, mas só por isto já valeu a pena! Venham mais!

  Respondemos a quase todas as questões e decifrámos os enigmas. Uns sabiam isto, outros aquilo. Os resultados vão ser publicados hoje no facebook, espero que a nossa equipa seja uma das primeiras, pois cumprimos com o tempo, sei que àquilo que respondemos está tudo (ou quase tudo) correcto. Estou optimista, embora ganhar acho que não vai ser o caso. O Presidente da nossa Junta de Freguesia também participou e suponho que ele deva saber tudo sobre a freguesia que acompanha há anos.

Beijo e Bom Domingo. Agora vou descansar, bem mereço... :)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Para Sempre

  Já conversei com algumas pessoas sobre esta questão de acreditar ou não na existência do "Para Sempre". Eu NÃO acredito! Para mim o "Para Sempre" sempre acaba. Quando digo isto levo logo com perguntas que me fazem pensar mas por mais que pense, chego sempre à mesma conclusão: Um cubo de gelo sempre derrete e um fogo sempre se apaga. Mais cedo ou mais tarde. No outro dia perguntaram-me se não acreditava no amor dos meus pais, apesar da quantidade de anos juntos e da relação saudável que têm.  "Não acreditas que os teus pais vão viver o amor deles para sempre?", e ainda,  "Não acreditas que o teu amor vai ser para sempre?",  "Então não acreditas no romantismo? O que fazes casada?" 
"Estás a dizer que a nossa Amizade não vai ser para sempre?"
 Ora bem, já dizia Fernando Pessoa que "O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e Pessoas incomparáveis."
  E quando falo neste "Para Sempre" não me refiro só ao lado romântico "da coisa", porque a Vida é que me fez pensar e acreditar que o "Para Sempre", que muitos usam, logo termina. Eu confesso que também já acreditei no Para Sempre...
 Eu já acreditei que muitas amizades fossem para sempre. Não foram para sempre!
 Já sonhei e acreditei que "aquele Amor" fosse para sempre. Não foi para sempre!
 Pensei que os avós  nos acompanhassem na Vida Para Sempre. Não ficam para sempre!
 Tanta coisa que para mim já foi para sempre e deixou de o ser...
 Quantas pessoas já viveram um amor para sempre? Um único amor??? Duvido! Mas nalgumas bocas, foram todos para sempre... (Snif, Snif).
Se acredito que os meus pais se amam e vão amar até um deles morrer? Acredito!
Se acredito que me amam e se acredito nesse amor? Acredito! Mas acredito nisto agora, e espero muito sinceramente que continue a acreditar por muitos e muitos anos. Espero que o amor dure, dure e dure (fazendo publicidade às pilhas Duracel). Mas que é para sempre? Não, não é! Mesmo que seja "Para Sempre" (Com aspas), nunca vai ser Para Sempre (Sem aspas)! Porque um dia, um de nós vai morrer, e o outro vai permanecer aqui, vai continuar a viver, a amar... Talvez até conheça outro Amor, mesmo que não seja Para Sempre novamente...
  "E se vocês morrerem juntos, num acidente, por exemplo?" Alguém insistiu na teoria do Amor Para Sempre (até que a morte nos separe). Mesmo assim não acredito que esse amor seja Para Sempre, é impossível os nossos corações deixarem de bombear sangue exactamente no mesmo minuto, e depois não acredito em Vida após a Morte, logo no céu não nos vamos concerteza encontrar...
 Tudo tem um fim, tudo se completa com um ciclo. Até o Amor mais bonito termina. Mas porque acabou, não quer dizer que esse amor nunca aconteceu.
  Eu apenas culpo os Desenhos da Disney, que nos convencem que no Amor de verdade eles são felizes "Para Sempre"!
  Deixei de ver desenhos animados e comecei a ver a Vida.
  A minha filhota costuma dizer: "Mamã viste o fim do filme? Foram felizes para sempre?" Eu eu digo que sim, foram pois. Vou deixar que ela aprenda sozinha que o Para Sempre não existe, é pequenina, tem de acreditar nos contos de Fadas primeiro, no mundo cor-de-rosa, para daqui a muitos anos ela própria dizer o que acha do "Para Sempre".
 Acredito na Vida, acredito no Amor, não sou insensível (muito pelo contrário). E também sonho, não fosse eu uma Mulher que ainda adora receber flores, de receber mensagens carinhosas, de apenas ouvir o famoso "Amo-te Tanto". Acredito nos nossos momentos! E até prova em contrário, vou continuar a acreditar...
 Amigos, não se preocupem com a questão do "Para Sempre". Enquanto estiver aqui, vou ter Para Sempre duas mãos para Vocês, e sei também onde vocês estão sempre que eu precisar. Mas já sabem, as minhas mãos entrelaçadas nas vossas nunca vão poder ficar Para Sempre!  Gostava que assim fosse mas não é mesmo!
  Parece-vos mal substituir o "Para Sempre" pelo "Intensamente"? Eu acredito mais no "Intensamente". O "Para Sempre" acaba, do "Intensamente" uso e abuso. Porque a Vida é Intensa, dure o tempo que durar!!
Um Sorriso e um Beijo Intenso, "Para Sempre"! :)))

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Hoje Apetece-me...

... Pisar bem o chão que piso, calmamente... (e porquê não ganhar asas e voar? Ir à lua e voltar?)

Hoje apetece-me beijar-te loucamente... (e porquê não ser beijada e desejada da mesma forma?)

Hoje apetece-me ser Eu mesma, ser o que sabes que sou... (e porquê não mudar, mesmo sendo Eu com uma alma renascida?)

Hoje apetece-me fazer uma nova tatuagem mesmo que isso não te agrade minimamente... (mas porquê se me fartei da que tenho?)

Hoje apetece-me ser aquela menina boazinha, a do costume, aquela que te conquistou de forma doce... (e porquê não me transformar naquela louca que sei que desejas?)

Hoje apetece-me abraçar de olhos bem fechados este meu cantinho e suspirar baixinho... (e porquê não agarrar nas malas e correr o mundo, fugir!?)

Hoje apetece-me nada de nada... (e se me apetecer derrepente tanta coisa?)

Hoje apetece-me sentar na lua, sossegar e ficar sozinha... (e porque não me surpreendes com aquele champagne, naquela cama redonda de lençóis vermelhos?)

Hoje apetece-me chorar... (e porquê não contrariar tudo e sorrir? Acompanhas-me?)

Hoje apetece-me ligar-te e calar este meu tom de voz cada vez mais mudo... (em vez disso qual o porquê de não gritar bem alto que te adoro?)

Hoje apetece-me mandar o boss à merd*... (e isto eu continuo a querer!)

Hoje apetece-me ser igual... mas vou ser diferente!

Porque hoje não me apetece nada... mas ao mesmo tempo apetece-me tudo!!
Hoje estou com apetites assim, amanhã não sei. Pode ser que me apeteça... muito mais!

(Eu, num dia de contradições duvidosas)

domingo, 14 de agosto de 2011

Estou que nem ginjas!


  E foi mesmo destas ginjinhas com copinho de chocolate que bebi a noite toda, por isso mesmo, fiquei que nem ginjas! Já não me lembrava de uma noite assim: copos, copinhos, amigos, alegria... a noite inteira! Estou cansada, com sono, doem-me os pés mas tão bem que me soube! E por incrível que pareça não consigo dormir.
  A minha maninha fez anos e fomos para o "forrobodó". Parabéns Maninha!!! Não se fazem 28 aninhos todos os dias.
  Fomos para aqueles arraias de verão com pimbalhada, cerveja, ginjas, tudo à mistura. Sim, daquelas festas de verão a que muita gente vai e se envergonha de o dizer (ou escrever). Pois eu Adoro, é nestas festas que encontro amigos que não vejo "há séculos". Festinhas da Terrinha onde a convivência, a dança, os comes e bebes tradicionais são uma presença constante.
  Uns envergonha-se pela chamada música "pimba", outros apenas porque sim. Também não é o género de música que eu aprecie mas para este tipo de festas é o que mais diverte.
  Mas lá para o fim da noite (quero dizer, ínicio da manhã) o grupo que actuava trocou a música "pimba" pela dos Xutos & Pontapés, Pedro Abrunhosa, entre outras (coisas mais apetecíveis ao meu ouvido, sem margem de dúvida).
  Foi uma noite (dia) em cheio. Fomos para casa de manhã, com direito a um salto na piscina e tudo por causa da "cola" que tinhamos no corpo com tanta ginjinha. Estava tudo KO, felizmente as crianças ficaram todas com as avós. Também têm de servir para alguma coisa. :)
  Não se pode fazer isto todos os fins-de-semana, mas de vez em quando sabe tão bem! Sair da rotina, aproveitar o lado divertido da noite, saborear as conversas e os Sorrisinhos dos amigos. Apanhar uma bebedeira. E porque não? Tudo faz parte.
  É por isso é que costumo dizer: Façam-me Sorrir... Com as coisas mais simples do mundo. Preciso só de uma boa noite e de boa companhia. E, se não for pedir muito... uma ginginha. :))

sábado, 13 de agosto de 2011

Pensamento Estúpido de Hoje

"Olhem como é lixado, tenho de ir tomar banhinho para daqui a pouco me pôr toda  transpirada a dançar. Mas se não tomar banho ninguém se aguenta ao pé de mim..."
Às vezes penso coisas sem nexo nenhum...

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Frase do Ano 2010

A FRASE DO ANO, PROFERIDA PELO PRÉMIO NOBEL DA MEDICINA
O oncologista brasileiro Drauzio Varella:

"No mundo actual, investe-se cinco vezes mais em medicamentos para a virilidade masculina e silicones para as mulheres do que na cura do Alzheimer. Daqui a alguns anos, teremos velhas de mamas grandes e velhos com pénis duro, mas nenhum se recordará para que servem".

  Aqui está ao que eu chamo de uma Verdade Verdadeira. :)

  Tudo quer umas mamocas bonitas e um pénis mais avantajado (lol). Será que o que têm não lhes chega?
  Sinceramente também não tenho o corpo que gostaria, nem o peito com que sonhei, como aquelas actrizes de cinema em que os homens não conseguem parar de olhar, (nós, mulheres, encontramos sempre defeitos em nós próprias, queremos sempre estar melhor do que aquilo que aparentamos)...mas sou Feliz assim, é o que tenho e nunca pensei em mamoplastias ou outras operações de correcção. O meu sonho é nunca ser operada, observando os problemas de saúde que por aí vemos era o ideal.
  Conheço mulheres que já recorreram a mamoplastias, confesso que o resultado não é nada mau de se ver mas gastar 5000 € por um capricho? E quando corre mal? E as dores pós-operatórias? Ai que medo!....Daqui a uns anos serve-me de quê? Gosto é de cuidar de MIM, da minha Saúde.
Quanto aos amigos (homens), não falam muito da virilidade deles, pelo menos com as mulheres, mas não duvido que já tenham experimentado alguma coisita, tipo comprimidinho azul. :P

Não vale mais puxar pela imaginação e fazer com que uma relação sexual valha a pena?



  Quem gostar de mim, tem de gostar de mim como sou. Com qualidades e defeitos! Eu também gosto de vocês da mesma forma! Juro que gosto. :))




quinta-feira, 11 de agosto de 2011

I dont believe!

Depois de chamadas, pedidos, etc e tal, do meu patrão e restantes colaboradores, abdiquei dos meus 15 dias seguidos de férias. Não fiquei de férias na segunda-feira como previsto mas apenas hoje... Bem, opções e consciência! Felizmente a empresa não se pode queixar de falta de trabalho. Antes assim! Tenho o resto da semana e a próxima semana completa (ESPERO EU!) Até tenho receio que o meu número se tenha tornado de um número de urgências (não médicas, claro!)  
   Preciso de descansar que a minha contratura muscular ainda não está a 100%. Para a semana água com ela! :) Piscina e Serrinha pois estou longe da praia. Mas este ano já saí demais e a dose de praia também já a tomei em Junho. Estes dias são mesmo para descansar. Confusões? Bem longe....

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Carta de Divórcio...!

(Demais mesmo...)

Querido,
Estou a escrever esta carta para dizer que te vou deixar para sempre. Fui uma boa mulher para ti durante sete anos e não tenho nada a provar.
As duas semanas passadas foram um inferno, o teu chefe chamou-me para dizer que te tinhas demitido e isto foi a última gota.
Na semana passada, chegaste a casa e não notaste que eu tinha um novo penteado e tinha ido à manicura. Cozinhei a tua refeição preferida e até usei uma nova lingerie. Chegaste a casa, comeste em dois minutos e foste dormir depois de ver o jogo. Não me dizes que me amas, nunca mais fizemos sexo.
Ou me estás a enganar ou já não me amas mais, seja qual for o caso, vou-te deixar.

A tua Ex-mulher.   
                     
P.S - Se me quiseres encontrar, desiste. O teu IRMÃO e eu vamos viajar para as Bahamas e casar!
___________________________________
___________________________
RESPOSTA
Querida ex-mulher:
Nada me fez mais feliz do que ler a tua carta. É verdade que estivemos casados durante sete anos, mas dizeres que foste uma boa mulher é exagerar. Vejo futebol para tentar não te ouvir a resmungar a toda a hora. Assim não valia a pena. 
Realmente reparei que tinhas um novo penteado na semana passada, a primeira coisa que me veio à cabeça foi "Pareces um homem!". Mas a minha mãe sempre me disse para não dizer nada que não fosse bonito.
Quando cozinhaste a minha refeição preferida, deves ter confundido com a do MEU IRMÃO, porque deixei de comer porco há sete anos. Fui dormir porque reparei que a lingerie ainda tinha a etiqueta do preço. Rezei que fosse uma coincidência o meu irmão ter-me pedido emprestado 50,00 EUR e a lingerie ter custado 49.99 EUR. 
Depois de tudo disto, eu ainda te amava e senti que podíamos resolver os nossos problemas. Assim quando descobri que eu tinha ganho o Euromilhões, deixei o meu emprego e comprei dois bilhetes de avião para a Jamaica. Mas quando cheguei a casa já tinhas ido. Tudo acontece por alguma razão. Espero que tenhas a vida que sempre sonhaste. O meu advogado disse-me que devido à carta que escreveste, não vais ter direito a nada. Portanto cuida-te.
Assinado:                       
Milionário e Solteiro.

P.S. - Não sei se eu alguma vez te disse isto mas o Carlos, o meu irmão, nasceu Carla. Espero que isto não seja um problema.
 
 
(Autor: Desconhecido)

 

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

E aí vem a contratura muscular

   Olha que grande merd* me havia de acontecer mesmo à porta das férias.
  Segunda-feira fico de férias e ontem acordei com uma dor forte no pescoço, nem me conseguia mexer. O meu lado esquerdo não funcionava bem.
  Fui trabalhar pois pensei que tivesse sido de ter dormido mal, às vezes acontece. O dia passou e as dores foram aumentando, fiquei com uma forte dor de cabeça e nem com medicação passou.
  Logo hoje, com tanto cliente a ligar e eu nem me conseguia voltar para atender o telefone, quanto mais para os aturar...
  Os meus colegas de trabalho são uns queridos, passaram o dia a chamarem-me de atrofiada, múmia e robocop. Enfim, não lhes doía nada.
  Chegou o final do dia, fechei tudo e dirigi-me de imediato ao hospital, eu já não podia mais com tanta dor. E voilá... Uma contratura muscular... Toma lá uma injecção de cavalo, medicação para a veia e ficas em casa de baixa médica.
  Oh meu Deus, com tantos orçamentos para entregar, tanto trabalho para fazer e acontece-me isto. O patrão passou-se quando soube, mas eu também não queria estar assim.
  Acho que as minhas férias para a semana já não vão ser as mesmas e conhecendo o boss que tenho sei que me vai pedir para ir trabalhar alguns dias, pois há coisas urgentes para fazer. E eu, como parva que sou, vou, pois me conheço e detesto falhar com os meus compromissos e com os objectivos que crio para mim mesma. Não o faço pelo patrão pois os agradecimentos são os mesmos. Faço-o pelos clientes, que já esperam a minha competência e dedicação no trabalho que desempenho.
  Uma contratura muscular ocorre quando o músculo se contrai de maneira incorrecta e não volta ao seu estado normal de relaxamento. Isso pode acontecer quando um indivíduo está muito tenso, vivendo situações de stress e cheio de preocupações. Eu deitei-me bem e acordei assim, não entendo. Nem acrobacias na cama fiz...
Para além de medicação, preciso mesmo de umas massagens...

Boas melhoras a mim! :)

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Homem vs Mulher


Já para não falar das diferenças anatómicas externas (óbviamente visíveis) e dos caracteres sexuais primários e secundários, há outras diferenças (que se vêm ao longe).

Será que é o Homem tem o coração no sítio errado? :)  Não, pois não? Oh, Nada disso!

O problema de tanta diferença entre os sexos é mesmo cerebral, as mulheres pensam mais e são mais humanas. Não quero ser feminista demais (por vezes sou um pouco, mas também não quero ser injusta). Os cérebros dos homens e das mulheres processam a linguagem, as informações, as emoções e o conhecimento de diferentes maneiras. Os homens são mais matemáticos e racionais e as mulheres são muito melhores em relações humanas, mais sentimentalistas.
Isso nota-se nas relações entre casais. Se inicialmente, parecemos ser um casal perfeito, daqueles que se zangam pouco (ou nada) e têm tudo em comum (ou aparentam ter), isso vai modificar-se no decorrer dos anos. "Mas porquê, se nos amamos?" Pergunto eu e milhentas de outras pessoas. Acho que temos de entender que somos diferentes mesmo! Os ideais femininos e masculinos nunca forão nem nunca irão ser os mesmos. Mas custa tanto entender isso, mais fácil é dizê-lo...
Por vezes é complicado termos opiniões tão distintas, reagirmos ao mesmo estímulo de maneiras tão diferentes. Afinal apercebemo-nos que se antes eramos apenas um, hoje é impossível sê-lo.
Nenhum é melhor que o outro, mas definitivamente, há dias em que o Homem tem mesmo o coração no sítio errado!
O Homem é estimulado principalmente pela vista. Apenas um olhar é suficiente para que tudo possa acontecer (e não me digam que não)! A mulher é inicialmente estimulada pelo tacto, contacto físico, e posteriormente "não funciona" sem o tal carinho. Há aquelas que funcionam de qualquer maneira (lol), mas isso é com certeza outro tema.
Mas os opostos atraem-se e é assim que temos de lidar com isso. Bem, também há aqueles que como não se entendem com os opostos, mudam-se para o mesmo sexo (lol), eu vou manter-me fiel ao sexo oposto (sem margem para dúvidas). 
 Há diferenças que nos ferem, magoam, mas há aqueles momentos em que se esquecem as diferenças e vale a pena tanta coisa.
Importa sim continuar a amar e a respeitar as diferenças uns dos outros, mesmo que por vezes não entendamos nada do que está a acontecer. E tentar entender, por vezes, também não resulta lá grande coisa.

Qual é a semelhança entre um homem e um golfinho?
-Dizem que são inteligentes, mas até hoje ainda ninguém conseguiu provar!

Sorriso :)