quarta-feira, 1 de agosto de 2012

O comboio

   Hoje olhei um comboio de forma diferente. Tantas vezes que já os vi passar mas hoje não o olhei da mesma forma.
   Costumo olhá-lo de forma banal, simplesmente porque me passa em frente aos olhos... mas hoje não. Fiquei parada a vê-lo passar, estagnei por momentos e veio-me a lembrança de quando, nas férias de verão, os meus pais me iam levar à estação e eu lá seguia para umas boas e merecidas férias com os meus primos. Fiquei a lembrar-me de como era quando entrava num comboio, das viagens que fiz nele, algumas sozinha, outras acompanhada.

   Viajar de comboio era transportarem-me, ou transportar-me noutro mundo. Uma viagem fascinante onde imaginava e idealizava os meus sonhos de menina, onde lia livros, onde recordava, onde conversava com quem ali estava também, onde ria e onde me dava vontade de chorar, onde olhava calmamente a natureza por entre os vidros, onde via as árvores correr!

   Um comboio serve para muito, não serve apenas para transportar passageiros e mercadoria ao destino escolhido... Serve para pensarmos nas pessoas que amamos, no tal sorriso inesquecível, num abraço apertado. Serve para ouvir apenas uma música, sentir até a barriga tremer...

    Desde os meus 18 anos que não entro num comboio. Tirei a carta de condução e esqueci-me de voltar a estas viagens...
   Hoje apercebi-me que tenho saudades de o fazer, saudades de me sentar num daqueles enormes bancos, ouvir uma música de olhos fechados e deixar que essa mesma música me embale os pensamentos...

  Um dia destes enfio-me num, pode até ser uma viagem curta. Sem destino!
  É apenas para sentir aquele trepidar na barriga. :)
  E só porque gosto e quero!

3 comentários:

  1. É um sonho que tenho... fazer uma viagem grande de comboio. Sou da opinião de que é super romântico :)

    ResponderEliminar
  2. Paula, se é sonho tens de o pôr em acção. :)
    E sim, também acho que uma viagem de comboio pode ser sem dúvida uma viagem romântica.

    Isa, obrigada. :)

    ResponderEliminar