quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

O casamento, o circo e a corda bamba

   Quem já foi ao circo conhece com certeza o número da corda bamba, que eu tanto admiro. Quando estamos numa relação vivemos nela também. A vida compara-se a um circo. Ora rimos, ora somos meros espectadores, ora vivemos momentos de agonia mas também de pura adrenalina.

   Vivemos numa corda bamba, em que eu para além de me ter que equilibrar ainda tenho de contribuir para o teu, para o nosso equilibrio. E ambos temos de nos equilibrar um ao outro, depois de atingirmos a nossa própria calma e serenidade. Quando há amor tenta-se sempre o equilíbrio!
   A Vida é uma corda bamba e dois nessa mesma corda é um risco maior, pode ser queda certa!
   Se eu estiver equilibrada, todos à minha volta ganham com isso. Mas nenhum de nós é totalmente estável e há dias em que caio da corda, e tu cais também.

   Quantas vezes a mão de onde esperas auxílio te desiquilibra mais do que tenta ajudar?
   Não desisto, e neste circo da Vida subo novamente para aquela corda fininha e coloco os meus pés cautelosamente, olho para os teus e começamos o equilibrismo, até porque até mesmo no circo o número da corda bamba é um dos mais esperados e aplaudidos.

   Quantas vezes os pontos de equilíbrio não estão em lado nenhum? Quantas vezes olhamos e vimos pessoas que adorariam ver-nos cair? Tantas a querer ver o circo pegar fogo!
   Não me chicoteiem os ouvidos nem as pernas com a corda onde ponho os pés só porque arrisco ser feliz! Tentem também!
 
   As pessoas hoje em dia querem vida fácil, não vão ao circo e não arriscam com medo de cair. Hoje em dia é mais cómodo abandonar a corda... e com tanta desistência um dia olham para o circo e já não existe mais corda para tentar.
   Um dia vão desejar subir para aquela corda, que apesar de bamba, nos dá adrenalina, aplausos e espectadores que vibram connosco a cada tentativa acertada!

2 comentários:

  1. Faz parte da vida cair, tropeçar, levantar e coltar a cair até... só assim se aprende!
    E nem sempre temos a "rede" por baixo de nós... mas tb depende apenas de nós de que altura queremos saltar certo?

    Bjs docinhos xxxx

    ResponderEliminar
  2. Paula, às vezes caímos da corda sem querer saltar, ou "obrigam-nos" a cair. Mas tudo faz parte e só nas quedas aprendemos a valorizar a "arte" de nos levantar-mos sozinhos e de nos equilibrarmos, com ou sem ajuda!

    Beijinhos e boa tarde! :)

    ResponderEliminar